Resenha – A insônia do vampiro

De uma forma bem particular, o universo misterioso envolvendo os contos de vampiros e criaturas da noite me chamam muito a atenção. Este livro eu gostei, primeiramente, do título, A insônia do vampiro, que me pareceu bastante subjetivo e irônico, já que os mesmos só conseguem ter uma vida noturna.

O livro conta a história de um vampiro, o nosso narrador, e todos os fatos que o fizeram chegar até o ponto de ter insônia. Ele procura uma psicóloga e a partir daí começa a contar toda a sua história de vida. De quando ele era apenas um homem até se tornar um vampiro. Nele temos a história trágica de Raimundo Pascoal, que é apaixonado por uma mulher e sonha em ter filhos e sofre desesperadamente por saber que isso é impossível, já que ele é um vampiro.

O livro se passa na Lisboa do século XVIII, onde muitas doenças matavam pessoas em grande massa e a Igreja era a última palavra. É um bom meio para se estudar a história de Portugal e da sua capital, pois em muitas páginas, muitas mesmo, o narrador nos conta com detalhes os acontecimentos e a rotina que vivenciava na cidade. De como ele observava os humanos e as suas angústias durante a noite.

Um grande terremoto muda todo o rumo que o livro vinha tomando, o que destruiu a capital e fez a Igreja católica ter fissuras na crença de muitos os que a seguiam, questionando-se o seu poder perante eles. O seu grande amigo Raimundo morre quando sua caverna desmorona e ele fica em contato com o sol, você já deve ter imaginado o que aconteceu.

O nosso vampiro se compromete a cuidar do bebê vampiro que sofre ameaça pela Igreja e pelos vampiros maldosos da história, Rosa e Morcegão, que tentam contra a sua vida. Mas o mesmo recebe a ajuda do seu “pai”, o vampiro que o mordeu e transformou em seu igual, Clemente.

Apesar da sua personalidade de vampiro, do seu ser interior, o jovem Vicente se desenvolve como uma criança normal durante a reconstrução da vida em Lisboa após o terremoto e o livro se torna bem interessante e enigmático quando ele começa a sua busca pelo seu irmão humano.

Em mais de quinhentos anos de vida como vampiro, o narrador busca, ao contar todos os fatos com detalhes, entender o motivo da sua insônia, porque durante todo o dia ele só consegue se revirar acordado dentro do caixão. Uma tortura que dura duas vezes a noite.

Apesar de todos os pesares, eu gostei da leitura. O livro é bem fluido e leve, a linguagem é simples e didática, o que facilita muito o entendimento do leitor. Ele podia ser facilmente confundido com um livro de história, e as partes de terror são bem limitadas, pelo menos para mim.

Eu creio que se você tiver outros títulos mais interessantes para ler, comece por eles, mas se você está curioso para ler esse, pode ficar a vontade, não vai ser algo muito decepcionante e o livro é pequeno, então você não vai perder muito tempo lendo ele. O livro é bastante rico em ilustrações e nas partes históricas, o que passa bastante conhecimento ao leitor. Recomendo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *