Resenha – 50 tons de Cinza

Muitos apenas visualizam e focam na parte erótica do livro e pouco se interessam por toda a trama que o envolve. Ele conta a história de Anastasia Steele, uma universitária simples e virgem, o que nos passa a impressão de uma mulher ingênua, com 21 anos e a sua concentração diretamente ligada aos estudos. Ela divide apartamento com a sua amiga Katherine Kavanagh, que já não é tão ingênua assim.

O destino de Ana e Christian Grey se cruzam quando sua amiga Kate tem uma entrevista marcada com o tão influente empresário, mas fica doente no dia da entrevista, o que a faz pedir para Ana realiza-la no seu lugar. Mesmo estando receosa pelo fato de ser, digamos, um pouco desastrada em quase tudo que faz, Ana aceita o pedido da amiga e vai ao encontro de Christian na sua empresa.

Durante essa entrevista, Christian fica encantado com a jovem, talvez pela sua ingenuidade, talvez pela sua beleza, o fato é que ele pensa consigo mesmo que a quer, de qualquer jeito, e fica decidido de que vai ter aquela menina mulher em seus braços. Ana, também encantada por Christian, crê que suas chances com ele são pequenas, tendo em vista todo seu sucesso e a possibilidade remota dele se interessar por uma mulher “desinteressante” como ela.

A partir daí acontecem encontros, um pouco coincidentes demais, que faz esse encantamento entre os dois se transformar em uma atração irresistível, o que nos leva para as partes mais picantes do livro. Ana não sabe, mas Christian esconde, por trás de sua face encantadora de homem bem sucedido, segredos obscuros que ele só revela entre quatro paredes e que ela vai descobrindo aos poucos, cada vez que eles vão se envolvendo mais e à medida que ela vai se entregando por inteiro para ele.

Para Christian, no início, Ana era apenas mais uma de suas conquistas, mais uma mulher que ele queria possuir e submeter aos seus desejos autoritários e sadomasoquistas, porém a jovem acaba se tornando muito mais do que uma simples serva do sexo, pois o mesmo acaba se apaixonando por Ana.

Confuso com o sentimento que ele não conhece e Ana, também confusa com os acontecimentos recentes da sua vida desde que conheceu Christian, o casal embarca em uma história de romance, sadomasoquismo e segredos que, na minha visão, faz uma rede de trama bem contada. Em algumas partes, é possível se surpreender com as revelações que nos são colocadas aos poucos.

Até aqui você pode estar se perguntando como esse livro conseguiu alcançar níveis estrondosos de sucesso e popularidade, mas, talvez o segredo tenha sido fugir do romance meloso que estamos acostumados a ver, como também, não focar nas tragédias românticas que todos já lemos ou vimos em algum lugar. A história, totalmente desfocada nas vertentes de amor correspondido com final feliz, pelo menos até aqui, pode ter sido uma sacada genial.

Uma crítica que deixo aqui é que na escrita do livro, em alguns momentos, o leitor sente uma redundância, onde, por várias páginas, só lemos os diálogos picantes entre Ana e Christian e a descrição, detalhada, de tudo o que fazem em quatro paredes. Talvez esse tenha sido o motivo de tantas pessoas associarem o livro com uma história quase pornográfica e o número de críticas tenha crescido. De resto, creio que o livro é uma boa opção de leitura quando você está no tédio ou sem nada para fazer e quer apenas passar o tempo. Vale a pena conferir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *